05/01/2016

Resenha | Carry On (Rainbow Rowell)


Oi, gente! Quem aí já leu Fangirl da Rainbow Rowell? Acredito que quem leu pirou na notícia que Carry On ia sair, né? Eu finalmente tive a oportunidade de comprar e ler o livro todinho e é claro, vim trazer a resenha dele para vocês!

[Goodreads | Skoob]

Autora: Rainbow Rowell
ISBN-13: 9781250049551
ISBN-10: 1250049555
Ano: 2015 / Páginas: 522
Idioma: inglês  
Editora: St. Martin's Griffin


Sinopse: Simon Snow só quer relaxar e saborear seu último ano na Watford School of Magiks, mas ninguém irá deixá-lo. Sua namorada terminou com ele, sua melhor amiga é uma peste, e seu mentor fica tentando escondê-lo nas montanhas onde ele ficará a salvo. Simon não consegue nem aproveitar o fato que seu colega de quarto e inimigo de longa data está sumido, porque ele não consegue parar de pensar sobre o desagradável mal. Além disso, existem fantasmas. E vampiros. E coisas malvadas tentando desaparecer com Simon. Quando você é o mais poderoso mágico que o mundo já conheceu, você nunca pode relaxar e saborear algo.
Carry On é uma história de fantasmas, de amor, de mistério e melodrama. Tem muitos beijos e falatórios que você esperaria de uma história da Rainbow Rowell, mas com muitos, muitos mais monstros.
(Sinopse traduzida meia boca por mim!)

Este é um daqueles casos em que a sinopse não faz juz ao livro. Ou ela pega fatos irrelevantes da história,ou inventa coisas grandiosas que de fato não é tão grandioso assim. A sinopse é tão importante para aqueles que leem um livro baseado na sinopse, e eu não sei o que as pessoas que fazem elas têm na cabeça quando fazem uma coisa dessas.



Detalhes à parte, foi bem difícil eu chegar a uma nota para Carry On. O livro tem muitos pontos positivos, porém também tem alguns negativos.

Carry On é dividido em livros, e como a própria autora comentou, não é nem a história original do Simon, escrita por Gemma T. Leslie (a qual é citada no livro Fangirl), muito menos a fanfic de mesmo nome do livro escrita por Cath, personagem principal de Fangirl. No total são 5 livros, mas eles não são divididos igualmente (é como se fossem "partes", mas totalmente desnecessárias para a trama). Enquanto o livro 1 tem 150 páginas, o livro 2 só tem 67. Isso é algo que não me agradou em nada, porque não vi sentido na divisão (claro, tem seu motivo, mas para mim continua desnecessário).

Outra coisa que me incomodou foi o começo bem lento, na real, o livro só começa a ficar interessante no livro 2, quando o Baz finalmente aparece. O livro 1 é só para manter o leitor informado do que tem acontecido antes, explicando sobre o Humdrum (suposto montro que está acabando com a magia e ataca o Simon), a guerra entre os mágicos das famílias mais antigas com o Mage (quem comanda a escola Watford), e como o Simon foi parar em Watford e por qual razão ele é o Escolhido. Explicações a parte, o livro 1 acaba sendo bem chatinho, porque não tem muita história.

Parando com as reclamações, o livro foi muito bem escrito, o que já era de se esperar. A Rainbow conseguiu um equilíbrio entre a ação do livro (a história no geral) e no romance que ela constrói para o Simon e o Baz. Os personagens têm personalidades bem características para cada um, e nenhum chegou a me irritar. Algumas coisas pareceram acontecer muito rapidamente, mas nada que "destruiu" a história.

A história foi muito bem construída, porém deixou a desejar em certos pontos no final, algumas perguntas ficaram no ar. Rainbow conseguiu criar um mundo totalmente novo para a magia, de forma divertida e simples. Uma coisa que eu realmente amei foi os feitiços. Todos eles ou são expressões ou letras de música, o que dá uma descontraída bem legal.

Nota:



Nenhum comentário:

Postar um comentário