17/01/2016

Resenha | Schroder (Amity Gaige)

Sinopse:  Um folheto de divulgação de uma colônia de férias exibe meninos americanos felizes e integrados. Para se tornar um deles, o adolescente Erik, que deixou a Alemanha Oriental rumo aos Estados Unidos aos cinco anos, acredita que deve ter um inglês impecável e sem sotaque, uma história familiar enraizada nos Estados Unidos e o sobrenome Kennedy. Ao se inscrever na colônia de férias, Erik Schroder assumirá uma nova identidade, romperá com seu passado, e, talvez tarde demais, descobrirá quanto se tornou refém da própria mentira. E então nem mesmo uma filha e o casamento dos seus sonhos poderão ajudá-lo.

Autora: Amity Gaige
ISBN-13: 9788580574876
ISBN-10: 8580574870
Ano: 2014 / Páginas: 272
Idioma: português
Editora: Intrínseca
Tradução: Izabel Aleixo
Gênero: Ficção

Schroder foi um livro que eu comprei por acaso, porque estava em promoção e a capa chamou a atenção. Não lembro de nem ter lido sinopse do livro antes de comprar, coisa que faço sempre. Mas também, fico feliz por não ter a lido, porque acredito que ela não passa realmente o que se pode esperar desse livro, ela só foca em um detalhe de uma história enorme.

E para ler esse livro, também foi por acaso. Eu estava lendo outro livro, mas a leitura estava bem lenta, e estava me desanimando, com um pé quase dentro de uma ressaca literária. Daí, como estavamos arrumando a sala onde ficam os livros, e eles estavam em outro lugar improvisado, esse acabou ficando na frente, e eu olhei ele e pensei "por que não?".

O livro realmente me surpreendeu, porque é um daqueles que você não vê ninguém falando por aí, mas a história foi muito bem escrita. 

Ela é narrada por Erick Schroder em forma de relato, destinado a sua ex-esposa, Laura. No relato, ele conta um pouquinho de como se tornou Erick Kennedy e o que ele fez durante o tempo em que ficou com sua filha, Melody, durante a separação do casal. Amity fez um bom trabalho no relato, alternando algumas memórias com o que estava acontecendo "no presente", com os pensamentos de Erick, seus sentimentos.

O livro é mais destinado para o público adulto, mas acho que é uma leitura que vale ser lida por adolescentes, pois fala um pouco sobre a vida e a busca de uma identidade.

Outro ponto que gostaria de criticar é a capa. Acredito que a capa é interessante, mas não faz juz a história, pois mostra quase nada sobre o que é o livro. É como se tivessem pegado uma foto aleatório de um homem com uma menina e falassem "pronto, tá aí a capa". 

Nota:

Um comentário:

  1. Tipo a capa de "Como eu era antes de você", acho tão nada a ver...

    ResponderExcluir