07/02/2016

Resenha | Passenger (Alexandra Bracken)

Oi, gente! Esse foi um dos livros que comprei na minha viagem para os EUA, e eu comecei a ler lá mesmo, tanto era a ansiedade rs. Infelizmente, uma ressaca literária bateu bem no meio do livro, o que acabou estendendo meu tempo de leitura, além de ter me deixado bem desanimada. Mas o livro é bom sim!
[Goodreads | Skoob]

ISBN-13: 9781484715772
ISBN-10: 1484715772
Ano: 2016 / Páginas: 464
Idioma: inglês  
Editora: Disney-Hyperion


Sinopse: Em uma devastadora noite, Etta Spencer, prodígio no violino, perde tudo que ela conhece e ama. Jogada em um mundo não familiar por um estranho com uma perigosa agenda, Etta só tem certeza de uma coisa: ela viajou não só quilômetros, mas anos de casa. E ela herdou um legado de que não sabe de nada, de uma família que nem sabia da existência. Até agora.
Nicholas Carter está contente com sua vida no oceano, livre dos Ironwoods- uma família poderosa nas colônias - e da servitude que vem nas mãos deles. Mas, com a chegada de uma passageira incomum em seu navio, vem um puxão insistente do passado que ele não pode escapar, e da família que não o deixará em paz tão facilmente. Agora os Ironwoods estão em busca de um objeto roubado de valor inestimável, que eles acreditam que só Etta, passageira de Nicholas, pode encontrar. No intuito de protegê-la, ele deve garantir que ela traga o objeto de volta para eles - não importando se ela quer ou não.
Juntos, Etta e Nicholas embarcam em uma perigosa jornada através dos séculos e continentes, juntando as pistas deixadas por um viajante que fará qualquer coisa para deixar o objeto fora de alcance dos Ironwoods. Mas à medida que ficam mais perto da verdade da sua busca, e os jogos mortais que os Ironwoods estão jogando, forças traiçoeiras ameaçam separar Etta não só de Nicholas, mas de seu caminho para casa... para sempre.


Passenger é daqueles livros que você vê todos falar bem, e na primeira oportunidade que tem, pega o livro e o devora. Comigo foi um pouco diferente por causa de uma ressaca literária que me atingiu no meio do livro, o que acabou um pouco com minha experiência.

Mas, apesar do meu atraso na leitura, Passenger não me decepcionou. Com um assunto tão complexo como a viagem no tempo, Alexandra conseguiu criar algo diferente dos tantos outros livros sobre isso. Só quem tem descendência de uma das famílias com o gene da viagem no tempo tem essa habilidade, mas por causa do tempo, e das brigas entre as famílias, praticamente só a Ironwood sobreviveu, graças aos jogos feitos pelo Grandfather. Além de que muita gente possui o gene, mas nem desconfia que possui essa habilidade. Não foi diferente com Etta, pois ela foi praticamente jogada nesse novo mundo, sem saber de nada. Ela ainda tem que sofrer com as consequências de não estar preparada para uma viagem no tempo, como ter que salvar sua mãe e tomar decisões que podem salvar seu futuro.

Apesar da famosa fórmula desses YA misturados com fantasia (a pessoa não sabe de nada, mas é jogada num mundo totalmente novo em que ela descobre ter poderes ou algo parecido e de repente tem que salvar o mundo), o livro segue uma linha sem clichés que dá para acompanhar numa boa. Só os assuntos de viagem do tempo, como mudar o passado/presente/futuro que fica confuso, mas em que livro/série/filme, quando esse é o assunto principal, faz algum sentido? rs.

Acredito que a única coisa que me incomodou mesmo foi a inserção do romance. Sim, é um YA, e YAs geralmente sempre tem um romancezinho. Mas, ao meu ver, não era nem um pouco necessário os personagens se envolverem. Detalhes a parte, o livro foi bem desenvolvido, com paisagens lindas, situações surpreendentes, e uma bela escrita. Vale a pena conferir.

Nota:





Nenhum comentário:

Postar um comentário