14/02/2016

Resenha | Vinte Garotos no Verão (Sarah Ockler)

Oi, gente! Que livro melhor pra ler no verão do que um que se passa nessa época do ano? Ainda mais em praias da Califórnia... aaah, sentindo a brisa do mar, a areia nos pés...

[Goodreads | Skoob]

ISBN-13: 9788581633657
ISBN-10: 858163365X
Ano: 2014 / Páginas: 288
Idioma: português 
Editora: Novo Conceito


Sinopse: Quando alguém que você ama morre, as pessoas perguntam como você está, mas não querem saber de verdade. Elas buscam a afirmação de que você está bem, de que vocêaprecia a preocupação delas, de que a vida continua. Em segredo, elas se perguntam quando a obrigação de perguntar terminará (depois de três meses, por sinal. Escrito ou não escrito, é esse o tempo que as pessoas levam para esquecer algo que você jamais esquecerá).
As pessoas não querem saber que você jamais comerá bolo de aniversário de novo porque não quer apagar o sabor mágico de cobertura nos lábios beijados por ele. Que você acorda todos os dias se perguntando por que você está viva e ele não. Que na primeira tarde de suas férias de verdade você se senta diante do mar, o rosto quente sob o sol, desejando que ele lhe dê um sinal de que está tudo bem.

Vinte Garotos no Verão é o livro ideal para se ler no verão. O foco do livro é na perda de Matt, melhor amigo de Anna, e irmão de Frankie, melhor amiga da Anna. Apesar desse tema meio pesado, o livro em nenhum momento trouxe assuntos que o deixasse difícil de ler. Ele fala sobre superação, perda, segredos e amizade, sobre família e envolvimento.

O livro talvez tenha deixado a desejar na parte do foco na perda. Muitas vezes vemos ele se desviando desse assunto para os típicos problemas adolescentes, como a preocupação com a aparência, a preocupação sobre sexo, etc. Claro, tudo isso foi para voltar para o tópico de superação da morte de alguém querido, mas por muitas vezes fiquei incomodada com o foco mudando tantas vezes para aquelas paixões de férias de verão.


Algo que me irritou foi o personagem da Frankie. O jeito dela de lidar com a perda de Matt foi simplesmente insuportável. Começou a fazer coisas erradas para chamar a atenção dos pais, mudou totalmente quem ela era de acordo com as memórias de Anna. Além das palavras que ela falava errado, quando elas eram tão fáceis de pronunciar. Eu realmente não vi necessidade desse detalhe, que só aparecia de vez em quando (quando no começo do livro parecia algo que devíamos prestar atenção). Cada um tem seu jeito de lidar com a perda, mas não consegui ver em Frankie a parte da superação.

Anna por vezes também foi irritante, dizendo que não entendia o que seus pais quiseram dizer em "você não dá espaço para a Frankie, ela não precisa de todos esses cuidados". Talvez essa tenha sido sua forma de lidar com a morte de seu melhor amigo, e recente "namorado", se aproximando ainda mais de Frankie, porque ela estava passando pelo mesmo. Mas, ela também não dava espaço para Frankie, ainda escondia segredos dela por simplesmente medo, e acabei ficando um pouco triste por suas ações.

Uma coisa que não entendo é o nome do livro. O foco não é nem um pouco na competição que as garotas fazem para conquistarem vinte garotos no verão na Califórnia, mas mesmo assim é o nome do livro...

Nota:


Nenhum comentário:

Postar um comentário